Mochileiros América do Sul

Descobrindo a América do Sul.

54° e 55° dias – Santa Cruz de la Sierra / Puerto Quijarro / Bolívia / Brasil / Corumbá / São Paulo (27 e 28/09)

em 23/10/2012

Bom dia!

Acordamos às 8h00, nos arrumamos, tomamos café da manhã e saímos para visitar outros atrativos da cidade. Seguimos caminhando para o Centro Cultural Santa Cruz, foram 25 minutos de caminhada. No caminho passamos pela Igreja La Merced, que estava fechada. Como o Centro Cultural ainda estava fechado, ele abriria somente às 10h00 e ainda faltavam 25 minutos, decidimos seguir com a nossa programação e voltar para visita-lo mais tarde. Caminhamos por mais uns 15 minutos e chegamos ao Museu de História Natural Noel Kempff Mercado, cuja entrada custa B$20,00/US$3,35 (R$7,35) por pessoa. Trata-se de um museu que apresenta espécies de animais empalhados, fósseis de peixes e alguns outros animais pré-históricos, um ovo de dinossauro, fósseis de plantas, o osso da cabeça de um mastodonte, um insetário de borboletas e algumas outras coisas relacionadas ao meio natural. Depois de visitar esse museu, andamos mais 4 quadras e chegamos ao Centro Comercial Grigota, com diversos camelôs vendendo cds e dvds piratas, celulares, aparelhos eletrônicos, brinquedos e algumas outras quinquilharias. Na parte externa do centro comercial, inúmeras barraquinhas dominam as calçadas. Demos uma volta por entre os camelôs e voltamos para o Centro Cultural Santa Cruz. Centro esse que estava exibindo somente com uma exposição, da Regina José Galindo, que expunha fotos e vídeos contra a violência. Como, um vídeo com a simulação de uma pessoa sendo torturada (waterboarding), outro vídeo que mostra a reconstrução do hímen (para que a mulher “volte a ser virgem”), um terceiro vídeo mostrando um protesto no qual a artista faz uma caminhada deixando pegadas feitas com sangue humano em memória das vítimas do conflito armado da Guatemala, entre outros.

Às 13h30 fomos para o restaurante Pícolo para almoçar, pedimos uma cesar salad, peito de frango ao molho de champignon com legumes sautés e arroz, suco de laranja e depois de comer tomamos sorvete. Estava tudo muito gostoso. Depois do almoço fomos para o hotel, arrumamos nossas coisas, fizemos o check-out e deixamos nossas mochilas na recepção. Saímos do hotel e fomos até a esquina, onde se encontra um ponto de ônibus. Pegamos o ônibus 99 para ir até o monumento El Cristo, nos distraímos conversando e nem vimos que já havíamos passado pelo monumento. Quando nos demos conta, descemos do ônibus e caminhamos por uns 25 minutos até chegar ao El Cristo. Tiramos algumas fotos e, ali mesmo, pegamos o ônibus 78 para ir até o Parque Arenal, parque que possui, em seu interior, um enorme lago, alguns bancos, chafarizes, mas não muita sombra. Caminhamos pelo parque e bem em frente se encontra a Feira Arenal, enorme feira que vende roupas, cosméticos, sapatos, celulares, aparelhos eletrônicos, entre outros. Como Santa Cruz não é muito frequentada por turistas e as pessoas dessa feira nos olhavam muito, resolvemos que o mais seguro a se fazer era sair dali. Saímos da feira e fomos caminhando de volta para o hotel. No caminho passamos em um supermercado comprar água e alguns salgadinhos e bolachas para a viagem de trem. Foram 30 minutos de caminhada e às 16h30 estávamos no hotel. Pedimos para Marta, a recepcionista, se podíamos utilizar algum banheiro para tomarmos banho. Então pegamos uma troca de roupa na mochila e revezamos um banheiro coletivo que havia ao lado da recepção.

Às 17h45 pegamos um táxi e fomos para o Terminal Bimodal para pegar o Trem da Morte . Chegamos ao terminal 25 minutos depois e a corrida nos custou B$16,00/US$2,65 (R$5,85). Como nosso trem sairia às 18h30 já fomos despachar as nossas mochilas, serviço esse que nos custou B$10,00/US$1,65 (R$3,65). Antes de entrarmos no trem tivemos ainda que pagar a taxa ferroviária, que custou B$3,00/US$0,50 (R$1,10) cada um. Pontualmente às 18h30 o trem partiu com destino à Puerto Quijarro, ainda na Bolívia. O trem era bem diferente do que imaginávamos, era composto somente por 2 modernos vagões com enormes e confortáveis poltronas. Nos acomodamos, um dvd musical foi colocado e às 20h30 o jantar foi servido. No jantar havia  arroz com frango, banana e ovo fritos, refrigerante e bolo de chocolate. Assistimos à um filme e dormimos. Às 7h00 o café da manhã foi servido, havia pão com queijo e café. Como a viagem foi quase toda noturna, nem pudemos observar a paisagem e às 9h00 chegamos ao terminal ferroviário de Puerto Quijarro. Pegamos nossas mochilas e ficamos 10 minutos em frente ao terminal esperando por um táxi. Não há nada no entorno do terminal, somente estradas de terra. Dividimos o táxi com um casal australiano e pagamos B$5,00/US$0,85 (R$1,85) cada um. Ainda bem que o táxi foi barato, pois para pagar tivemos que contar nossas últimas moedas. Depois de 15 minutos o taxista nos deixou em frente à fronteira Bolívia/Brasil, onde registramos nossa saída da Bolívia. Caminhamos por 5 minutos e chegamos até a Receita Federal, havia uma enorme fila, mas como somos brasileiros fomos encaminhados à outra entrada, na qual havia poucas pessoas. Registramos a entrada no Brasil e pegamos um táxi com destino ao Aeroporto Internacional de Corumbá, foram 20 minutos de viagem. Como não tínhamos dinheiro pedimos para o taxista aguardar enquanto sacávamos dinheiro para pagar a corrida. Para nossa surpresa não havia um caixa eletrônico no aeroporto, então tivemos que ir até um banco no centro de Corumbá. Às 10h30 estávamos de volta ao aeroporto, a corrida nos custou R$60,00. Em frente ao aeroporto há um monumento com 2 enormes araras.

Como nosso voo sairia somente às 14h50 ficamos esperando no café do aeroporto até o horário do check-in. Às 14h30 fizemos o check-in no guichê da companhia aérea Trip e despachamos nossas mochilas. Às 15h00 o avião partiu com destino à Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O voo teve duração de 1 hora e durante o percurso um lanche nos foi servido. Ficamos esperando por 1 hora no Aeroporto Internacional de Campo Grande e às 16h50 fizemos o check-in e embarcamos no avião da companhia aérea TAM. Depois de 20 minutos o avião partiu. Chegamos ao Aeroporto Internacional de GuarulhosSão Paulo, às 20h00, horário local. O voo teve duração de 1h50 minutos, mas como o fuso é diferente adiantamos nossos relógios em 1 hora. A passagem aérea Corumbá/São Paulo nos custou R$489,95 cada um. E assim acabou nossa aventura pela América do Sul.

Beijos a todos!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: